O Guia Definitivo do Mochileiro das Galáxias

Boa tarde, meus leitores!

Finalizei dia 13/12/2018 o último livro do “O Guia Definitivo do Mochileiro das Galáxias”, de Douglas Adams, tradução de Carlos Irineu da Costa, Marcia Heloisa Amarante Gonçalves e Paulo Henrique Britto, publicado pela editora Arqueiro.

IMG_20181214_113729897

Sinopse: “Pela primeira vez, reunimos em um único volume os cinco livros da cultuada série O Mochileiro das Galáxias, de Douglas Adams.  Com mais de 15 milhões de exemplares vendidos, a saga do britânico esquisitão Arthur Dent pela Galáxia conquistou leitores do mundo inteiro. O humor ácido e as tramas surreais de Douglas Adams se tornaram ícones de uma geração e seguem fascinando – e divertindo – leitores de todas as idades. Pegue sua toalha, embarque nessa aventura improvável e, é claro, não entre em pânico!
Em: O Guia do Mochileiro das Galáxias – Segundos antes de a Terra ser destruída para dar lugar a uma via expressa interespacial, Arthur Dent é salvo por Ford Prefect, um E.T. que fazia pesquisa de campo para a nova edição de O Guia do Mochileiro das Galáxias. Pegando carona numa nave alienígena, os dois dão início a uma alucinante viagem pelo tempo e pelo espaço.
Em: O Restaurante no Fim do Universo – Arthur Dent e seus quatro estranhos companheiros viajam pela Galáxia a bordo da nave Coração de Ouro, em uma busca desesperada por algum lugar para comer. Depois de fazer a refeição mais estranha de suas vidas, eles seguem pelo espaço e acabam descobrindo a questão sobre a Vida, o Universo e Tudo Mais.
Em: A Vida, o Universo e Tudo Mais – Arthur Dent passou os últimos cinco anos abandonado na Terra pré-histórica, mas ainda acordava todos os dias com um grito de horror. No entanto, talvez fosse melhor continuar nessa tediosa rotina do que ser arrastado para a sua próxima missão: salvar o Universo dos temíveis e infelizes robôs xenófobos do planeta Krikkit.
Em: Até Mais, e Obrigado Pelos Peixes! – Depois de viajar pelo Universo, ver o aniquilamento da Terra, participar de guerras interestelares e conhecer criaturas extraordinárias, Arthur Dent está de volta ao seu planeta. E tudo parece estranhamente normal – exceto pelo desaparecimento dos golfinhos. Disposto a desvendar esse mistério, ele parte em uma nova jornada.
E em: Praticamente Inofensiva – Após muitos anos vivendo separados, cada um em um canto mais insondável do Universo, Arthur Dent, Ford Prefect e Trillia McMillan se reencontram. Mas o que deveria ser uma festejada reunião de velhos amigos se transforma numa terrível confusão que põe em risco – mais uma vez – a vida de todos.”.

Bem, primeira coisa, como podem ver na sinopse O Guia Definitivo do Mochileiro das Galáxias é composto por cinco livros, a edição da Arqueiro uniu todos em um livro só e ficou fantástico.

Os livros são:

Fiz uma mini resenha de cada em meu insta conforme eu ia lendo, menos do último. Vou fazer agora um apanhado geral em ordem cronológica, então terá spoilers após a resenha do primeiro.

Vou tentar não revelar muito, porque cada um tem que ter a sua própria experiência com essa obra de arte complexa. A leitura no modo geral é rápida e os capítulos são curtos, agora porque digo no modo geral? Porque tem muitas coisas complexas, extremamente complexas. Douglas Adams nos apresenta as mais diversas teorias sobre tudo, as vezes lemos e achamos que tínhamos entendido até ele ter uma sacada que dá um nó na cabeça e ficamos com duas alternativas: voltar e tentar entender por A+B ou seguir a história e entender no modo geral.

Uma coisa que me ajudou muito foi o Arthur, haha, sim, ele me ajudou porque o conhecimento dele é igual ao meu em diversos aspectos. Então quando Ford Perfect tinha que explicar algo para ele de novo, me ajudava muito haha.

Bom, vamos para a história.

No primeiro livro acompanhamos Arthur Dent que consegue ser salvo por Ford Perfect, seu então amigo, minutos antes da Terra ser destruída. E é aí que ele descobre que Ford na verdade não era terráqueo, pelo contrário, é um ET que foi fazer uma pesquisa de campo na Terra para uma nova edição do Guia do Mochileiro e acabou ficando preso por 15 anos lá. Ao ser salvo, Arthur se vê diante de um mundo, de uma realidade nunca antes imaginada e junto de Ford dão início a uma viagem nada normal. Chegando até a se envolverem e descobrirem a resposta para a Grande pergunta sobre à Questão da Vida, o Universo e Tudo Mais.

“Há um momento em cada amanhecer no qual a luz parece flutuar e tudo parece mágico. A criação prende a respiração.” pg.302

Tiveram diversas partes que não fez sentido para mim? Sim, mas o foda é que faz sentido para a história. Algo que você pensa: nossa isso é loucura, dentro do mundo em que Ford vive e Arthur é levado, faz total sentido.

No segundo livro, Douglas Adams continua com suas sacadas e com sua visão de mundo excepcionais. A forma com que ele nos dá uma segunda ou terceira ou mais visões sobre coisas que para nós são banais é fascinante. Diversas vezes parei e pensei: como não pensei nisso antes?

Bem, o intuito deles era ir comer algo no Restaurante no fim do Universo, mas algo acontece que eles acabam sendo divididos durante um tempo. Agora o grupo tem mais integrantes, junto com Arthur Dent e Ford Perfect, conhecemos Trillian, Zaphod Beeblebrox e Marvin. Zaphod consegue pistas da missão secreta que ele havia escondido dele mesmo e é forçado a seguir com seu antigo plano. Eles finalmente almoçam no restaurante no fim do universo; o Regente do Universo é conhecido (?); Ford Perfect e Arthur se veem em uma nave com bilhões de pessoas congeladas, um capitão que está no banho há três anos e caminham para um choque contra a superfície de um planeta.

Eles agora mudaram o foco, eles já têm a resposta sobre à Questão da Vida, o Universo e Tudo Mais, agora eles querem a real pergunta.

“Eles adoravam cada pedacinho de tudo, mas essa história de adorar coisas até o último pedacinho muitas vezes era justamente o problema: quando a pessoa ama, muitas vezes a pessoa machuca a pessoa que a pessoa ama[…]”. pg.473

No terceiro livro, começa com o que aconteceu com Arthur, Ford, Zapod e Trillian cinco anos depois. As coisas não eram muito promissoras e justo no dia que Dent decide ficar louco, uma saída improvável e inesperada aparece para ele e Ford. Trillian decide abandonar Zapod em sua eterna melancolia, gerada depois dele ter feito uma ‘análise existencial’. E como tudo, no fundo funciona assim, eles acabam se encontrando porque recebem a missão de salvar o Universo. E Ford enfatiza sempre que eles ‘não dão importância suficiente para morrer para salvar o Universo’ mesmo que morram por isso.

Existem diversos ganchos nessa história que devemos apenas aceitar, o racional não funciona aqui. Temos que liberar a imaginação e confiar no mundo que Douglas Adams escreveu, só assim para entender que “para voar existe toda uma arte, um jeitinho que consiste em como se jogar no chão e errar”. E como é uma cacetada ser atingido por uma festa no cóccix.

O quarto livro não fica para trás, ele é fascinante, emocionante, calmo, fluido e excelente, como todos. Nele vemos que tanto Arthur Dent quanto Ford Perfect descobrem que a Terra voltou a existir. Como? Porquê? Ela se restaurou ou é apenas uma cópia bem feita? São coisas que eles tentam não pensar. Arthur conhece Fenchurch, uma bela moça que é considerada louca por ter presenciado o fim do mundo e ter descoberto uma verdade absoluta que foi esquecida por causa dos Vogons. Arthur decide ajudar ela a se lembra e acaba contando com a ajuda de Ford.

Eles descobrem que há algo de errado nessa nova terra e que nela os Golfinhos não existem, as pessoas parecem não percebem que algo aconteceu de extraordinário ali e vivem normalmente. Diante disso, os três saem em uma viagem para tentar ajudar Fenchurch a se lembrar qual era a verdade absoluta esquecida de antes.

“Mas, para a surpresa de todos, os temíveis invasores, que, como a maioria das raças beligerantes, só estavam comprando briga com os outros porque não sabiam lidar com seus problemas domésticos”. pg.518

E no último livro, já começamos a história com Arthur abandonado e vagando sozinho pela Galáxia em outra dimensão. Ele não tinha conhecimento, mas em algum momento durante a viagem na velocidade da luz que ele e Fenchurch estavam ela simplesmente sumiu. Os donos da estação espacial riem da situação e dizem que é normal, quando se entra na fenda da velocidade da luz, seres humanos podem simplesmente sumir como aconteceu e que isso é tão óbvio para viajantes no tempo que até os advogados tinham ciência. Não adiantaria ele reclamar.

Desolado por perder seu amor e perdido em uma dimensão diferente – nessa dimensão a Terra não existe, ele sai vagando de planeta em planeta até achar um que se encaixe.

Em outra dimensão paralela, que na verdade não é apenas paralela porque todas são, na verdade é apenas Mistureba Generalizada, vemos uma versão de Trillian que é chamada de Tricia que quando recebeu o convite de Zaphod foi buscar sua bolsa antes de aceitar e ele acabou indo embora sem ela. E conhecemos sua vida de arrependimento por não ter apenas deixado a bolsa e ter seguido com o ser de duas cabeças, que por causa disso ela abandonou a carreira de astrofísica e foi para o jornalismo.

E ela continua nessa vida arrependida até após uma viagem cansativa, ela recebe uma nave espacial em seu gramado, conhece outros alienígenas, mas não consegue nenhuma prova concreta para fazer uma matéria. Quando ela acha que está enlouquecendo, outra nave pousa e ela é chamada para entrevistar os extraterrestres.

Mal sabe ela que quem estava naquela máquina é sua filha de outra dimensão. Uma filha de uma Trillian que ao abandonar Zaphod decidiu ter uma filha por conta própria, é jornalista intergaláctica do futuro e que se arrepende de ter aceitado o convite de Zaphod.

Agora, algo foi alterado na editora do Guia, algo muito errado começou a funcionar com Engenharia Reversa e finalmente eles vão se unir novamente: Arthur, Ford e Trillian. Mas será que é o destino ou apenas o acaso? Vai ser um reencontro bom ou algo muito ruim está para acontecer?

Simplesmente não posso contar mais, hahaha.
Só digo que é muito bom e o final é muito, muito, muito triste.

Tive que reler a última página umas três vezes porque eu não quis acreditar naquele final.

São cinco em um, grande, mas vale a pena. A leitura é gostosa e como disse, existem muitas teorias doidas e visões de mundo muito fora do que eu algum dia poderia ter imaginado e a leitura pode parecer de início muito confusa, e é, mas persista porque vale a pena. É muito bom mesmo.

Recomendado!

E aí, vocês já leram?
O que acharam?
Comentem aí!

Quer adquirir? É só clicar aqui.
 (Comprando através deste link você ainda ajuda o Pêcego e Livros a crescer! <3)

UPDATE DA LEITURA:
Cartas de um diabo a seu aprendiz – C.S. Lewis;
Morte na Mesopotâmia – Agatha Christie.

Até mais, me sigam nas redes!!

Instagram: @pecegoelivros
Twitter: @ninhapecego
Facebook: @pecegoelivros
Goodreads: @pecegoelivros 
Skoob: https://www.skoob.com.br/usuario/866267-paulinha#_=_

Beijos e abraços.
Paulinha Pêcego

PS: Oi, você sabia que eu acabei de publicar meu primeiro livro? Não?? Bem, não deixa de conferir clicando na capa aí embaixo, tem no formato físico e no eBook.
E ainda tem no Kindle Unlimited!
Caso adquira e faça qualquer compartilhamento em suas redes sociais não deixa de me marcar, vou amar!
(Não se esqueça de avaliar na amazon após a leitura!)

 

2 comentários em “O Guia Definitivo do Mochileiro das Galáxias

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s