O Espadachim de Carvão

Olá! Boa tarde, pessoas!

Nessa madrugada, 15/09/2018, terminei a leitura do livro O Espadachim de Carvão do Affonso Solano, publicado pela Editora LeYa.

IMG_20180915_041957725

Sinopse: “KURGALA É UM MUNDO abandonado por Quatro Deuses. Adapak é filho de um deles. E agora ele está sendo caçado. Perseguido por um misterioso grupo de assassinos, o jovem de pele cor de carvão se vê obrigado a deixar a ilha sagrada onde cresceu e a desbravar um mundo hostil e repleto de criaturas exóticas. Munido de uma sabedoria ímpar, mas dotado de uma inocência rara, ele agora precisará colocar em prática todo o conhecimento que adquiriu em seu isolamento para descobrir quem são seus inimigos. Mesmo que isso possa comprometer alguns dos segredos mais antigos de Kurgala.”

Eu me interessei por esse livro por três motivos: pela capa, maravilhosa; pelo título, que me deixou curiosa; e por saber que é escrito por Affonso Solano. Não, não li a sinopse.

Posso dizer que “conheci” Affonso Solano pelos vídeos do Jovem Nerd (nerdcast)   e logo depois pelos vídeos dele do Matando Robôs Gigantes  – Os dois são canais no Youtube, vai conferir, sei que vai gostar.
Depois de diversos elogios por sua obra, minha vontade foi concretizada na Bienal, agora em agosto/2018. Infelizmente, mil vezes, não consegui pegar um autógrafo. Eu estava com um problema na coluna que não pude esperar na fila, mas é a vida.
Adquiri lá os dois volumes. (Descobri que tem uma versão em HQ das histórias de Tamtul e Magano, já quero).

Sem mais delongas vamos ao que eu achei.

Fiquei surpresa com a imaginação e com o mundo criado por Solano, Kurgala e suas lendas e crenças, são sensacionais e diferentes de tudo o que li. Confesso que tive certas dificuldades para andar por essas terras devido a inovação em tudo, mas nada me impediu de seguir.
Vocês poderão ver pela foto que fiz diversos quotes e isso só me envolveu mais. Tive um pequeno problema de adaptação no início, até entender que os capítulos são intercalados com passado e presente. Não dei cinco estrelas na classificação no Skoob e GoodReads porque achei que certos pontos não ‘caminharam comigo’, o leitor.

Por exemplo, a forma como Adapak foi apresentado como um excelente espadachim que está sendo perseguido e inocente ao que se refere a maldade do mundo, não achei que deu muito certo em alguns pontos.
[Contém spoilers] A forma como ele foi ouviu e comprou o passe do enganador na ponte foi tão tranquilo, baseado na forma bruta, desconfiada e um pouco ‘eu sei do certo e errado’ que tratou Jarkenum, o homem que o alertou do enganador. Achei que houve uma distinção da forma que ele via e gostava de Barutir, antigo ancião que cuidou dele até os 4 ciclos, para a forma com que ele o tratou com o velho depois – Mesmo o velho se tornando, bruto, amargo, rancoroso e aparentemente louco pós a morte de sua amada Nafaela. Achei que ele agiu muito como um garoto mimado e que não quer ouvir o outro lado da moeda.
[Contém spoilers] E não engoli muito o fato que ele cresceu com um deus, Enki’ När – A Grande Voz, que seria seu pai, aprendeu tudo dele; mas não sabia o significado de uma pequena palavra derivada da Língua Antiga, Ikibu. Mesmo explicando mais para frente que é a língua dos mellat, não engoli. Segundo foi apresentado, através dos arcos ele tinha aprendido tudo com o Dingirï.
[Contém spoilers] E outra coisa que não me permitiu dar cinco estrelas foi que, primeiro, o grande plot twits – que se você leu até aqui ou já leu o livro ou realmente não se importa com spoiler, então aí vai um grande: que na verdade Adapak não era filho de Enki’ När, e sim uma criação – o resultado final de um experimento bem sucedido – de Anu’ När, o Artesão; foi liberado entrelinhas, mas o próprio protagonista custou cair a ficha e quando ele finalmente descobre eu fiquei com a sensação de: “Nossa, até eu já tinha intendido as indiretas”. Não foi agradável rsrs.
[Contém spoilers] Em segundo lugar, achei que Enki’ När morreu muito fácil para um ‘deus’, até porque quando é revelado o motivo de sua morte não existe nenhum ser ultra poderoso por trás e nem nenhuma magia obscura. E, em terceiro, achei que a mudança de humor, atitude e sanidade de Telalec foi muito exagerado, como o de Barutir foi em partes – retirando o sofrimento pela mulher. Não achei justificativa suficiente para tanto ódio do nada, até porque se fosse para ter ódio não seria de Adapak, ou de Enki’ När que impediu a destruição de Kurgala mais de uma vez e sim de Anu’ När que finalizou o experimento escondido de todos e pretendia libertar os verdadeiros donos de Kurgala para terminar com tudo, porque, oras, ele já tinha terminado seu experimento.
Não engoli, não mesmo. Poderia ser, sei lá, algo pior, como se eles fossem imortais graças as vidas que eles recolhiam – a cada morte, ou se sei lá, se Adapak descobrisse a verdade algo iria ativar em seu cérebro e ele destruiria Kurgala. Sei lá, qualquer coisa, isso não engoli.

Não vou nem falar do caso Sirara que achei meio, inhé. Vocês sabem odeio epílogos.

Por mais doido que possa parecer, apesar desses pontos que citei, eu amei a história. Porque foi diferente de tudo o que li, porque foi bem desenvolvida, os personagens foram bem enraizados, o mundo fez sentido e tinha uma explicação para tudo. A escrita de Solano é muito boa e as descrições magníficas.

Vale muito a pena ler, eu recomendo mesmo.
E venha debater sua teoria comigo, você concorda com meus pontos? Quais os seus?

Quer adquirir? É só clicar aí: https://amzn.to/2xnX7ja
(Comprando através deste link você ainda ajuda o Pêcego e Livros a crescer! ❤ )

UPDATE DA LEITURA:
Hobbie: Essencial Clássicos Infantis I – Os Irmãos Grimm;
Clube ET ❤ :Corte de Névoa e Fúria – Sarah J. Maas [11%];
Lugares Escuros – Gillian Flynn.

Até mais, me sigam nas redes!!

Instagram: @pecegoelivros
Twitter: @ninhapecego
Facebook: @pecegoelivros
Goodreads: @pecegoelivros
Skoob: https://www.skoob.com.br/usuario/866267-paulinha#_=_

Beijos e abraços.
Paulinha Pêcego

PS: Oi, você sabia que eu acabei de publicar meu primeiro livro? Não?? Bem, não deixa de conferir clicando na capa aí embaixo. ❤
Caso adquira e faça qualquer compartilhamento em suas redes sociais não deixa de me marcar, vou amar!

 

3 comentários em “O Espadachim de Carvão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s